TERMELÉTRICA DE CUIABÁ

Publicado por | 18/01/2008 | Sem categoria

Despacho diário será de 195 MW ao SIN.
Segunda-feira (21) haverá encontro entre órgãos
do governo e representantes das usinas
Efeito Apagão
Usina vai operar com óleo diesel na próxima semana
Usina Governador Mário Covas (Termelétrica de Cuiabá) vai operar com óleo diesel a partir da semana que vem. A decisão foi tomada ontem durante a reunião do Comitê de Monitoramento do Setor Elétrico (CMSE) realizada em Brasília e anunciada pelo ministro interino de Minas e Energia (MME), Nelson Hubner. O acionamento da planta, que é bicombustível (pode gerar a gás natural e óleo), ocorrerá porque o nível dos reservatórios das hidrelétricas do país está abaixo do ideal, forçando a demanda pelas termelétricas. A usina vai despachar 195 megawatts (MW) por dia ao Sistema Interligado Nacional (SIN).

A intenção do governo é dar folga aos reservatórios até que recuperem a quantidade de água necessária para segurança do sistema elétrico nacional. Ainda não há previsão de por quanto tempo a usina despachará a matriz energética diesel. Além de Cuiabá, o comitê decidiu acionar outras sete usinas. Juntas, vão gerar 1,2 mil MW. A data para que a usina comece a operar também não foi definida, mas o desligamento futuro, segundo o Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), vai depender do nível dos reservatórios, já que semanalmente o CMSE se reúne e tem condições de avaliar se é necessário ou não a permanência da geração da termelétrica de Cuiabá a óleo diesel.

O ministro Hubner admite que, por mais que o país venha presenciado um nível de chuvas considerado bom nos últimos dias, a decisão por despachar as térmicas a óleo diesel está focada na segurança do sistema elétrico nacional, já que as barragens, principalmente da região Nordeste, ainda estão com níveis muito baixo.

O diretor Comercial e de Assuntos Regulatórios da Empresa Pantanal Energia (EPE), Fábio Garcia, afirma que nada ainda foi definido e que na segunda-feira (21) haverá uma reunião com representantes do MME, ONS, Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) e Furnas. “Na terça-feira entregamos ao comitê a documentação da planta e sinalizamos que está preparada para operar com o diesel”, diz ao lembrar que toda a energia gerada pela planta é contratada por Furnas e que a decisão sobre a geração não é unicamente da EPE.

Fonte: Gazetadigital

552 total de vistas, 1 hoje

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.


Site Protection is enabled by using WP Site Protector from Exattosoft.com